Metodologias ativas e Educação Infantil: Qual a importância dessa relação?

Os métodos de ensino devem acompanhar as evoluções e a tecnologia para continuarem eficazes na aprendizagem dos alunos. Hoje em dia, os métodos tradicionais não surtem tanto efeito quanto antes. Os professores devem fomentar o protagonismo de seus alunos, incentivar a interação em sala de aula e motivar a busca por conhecimento, por isso as metodologias ativas têm um papel importante na educação infantil.

 

As metodologias ativas trazem os alunos para o centro, fazendo com que adquiram autonomia na busca por conhecimento, atuando de maneira ativa e, além de alunos, se tornem estudantes, nãometodologias ativas apenas recebendo conhecimento, mas os tornando responsáveis pelo seu próprio conhecimento.

Para nortear as escolas e os professores na aplicação das metodologias ativas na educação infantil, temos a BNCC (Base Nacional Comum Curricular). De acordo com a definição, “é um documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica(…)” (BNCC, p.7).

A Base Nacional Comum Curricular apresenta em seu documento competências gerais necessárias para o desenvolvimento da educação básica.

“A aprendizagem significativa é aquela que possibilita a construção do sujeito. Para tanto, o conhecimento é construído e reconstruído dialeticamente pelos educadores e aprendizes e, a partir dessa reconstrução, o estudante desenvolve competências que o torne autônomo, questionador e consciente da necessidade de um constante aprendizado, que está sempre inacabado.” (BNCC)

Essas competências envolvem:

  • Entender os conhecimentos históricos, para explicar a atualidade e a construção de uma sociedade mais consciente;
  • Fomentar a criatividade, conhecimento e pensamento crítico;
  • Incentivar as artes e a cultura;
  • Aprender com a tecnologia;
  • Relacionar e se comunicar em grupo;
  • Lidar com a inteligência emocional na aprendizagem;
  • Ter autocuidado;
  • Saber agir na tomada de decisões individuais e coletivas;
  • Incentivar a liderança;
  • Solucionar problemas na prática.

educador é o responsável pelo engajamento do aluno“Na construção da aprendizagem, o educador é o responsável pelo engajamento do aluno, assumindo o papel de designer de experiências cognitivas, estéticas, sociais e pessoais.” (BNCC)

A educação infantil é a fase em que a criança começa a se desenvolver fora do âmbito familiar e é nessa fase que a criança começa a descobrir o mundo. Por isso, a aplicação das metodologias ativas na educação infantil é fundamental para o desenvolvimento de uma sociedade pensante, reflexiva e que busca conhecimento a todo momento.

O papel do professor será de extrema importância, pois atuará de maneira a auxiliar essas competências, que só serão desenvolvidas se as metodologias ativas forem aplicadas no processo de ensino aprendizagem. De acordo com a Base Nacional Comum Curricular, o educador se torna o mediador do conhecimento, fazendo a “condução da formação de competências e a colaboração no processo para que o estudante aprenda a aprender.”

As metodologias ativas são: sala de aula invertida; gamificação; aprendizagem por projetos; PBL: Metodologia baseada em problemas; estudo de caso; rotação por estações de aprendizagem:

  • Sala de aula invertida: Essa metodologia consiste que o estudante pesquise, leia, realize atividades e tome nota de suas dúvidas acerca do conteúdo estudado em casa, dessa maneira, o aluno já se prepara antecipadamente em relação ao conteúdo. Na sala de aula, o professor auxiliará nas dúvidas que surgiram. No ensino infantil, essa metodologia não é muito utilizada, porém no estudo de Angelita Kletenberg Tümmler e Adriana Thives, sobre o “uso de metodologias ativas na educação infantil”, é citado um exemplo da utilização dessa metodologia, apresentada por Alexandro Sunaga, em 2019, em que é proposta uma atividade para casa em que a criança, com auxílio dos pais, precisa montar um barquinho de papel. A partir dessa atividade, os pais fomentam a curiosidade da criança com perguntas sobre o barquinho. Em sala de aula, a criança compartilhará as experiências. “A partir das informações coletadas com as crianças, o professor amplia a gama de informações, ampliando também o conhecimento que elas têm sobre determinado assunto. Fazer esta relação é imprescindível para que a aula não se limite ao que a criança já conhece.” (Tümmler e Thives, p.7);
  • Gamificação: “O uso de jogos como meio para a aprendizagem é, sem dúvida, uma grande iniciativa para o desenvolvimento dessas relevantes competências para a vida do aprendiz.” (BNCC). Os jogos ajudam na aprendizagem e fazem com que os estudantes assimilem os conteúdos e adquiram conhecimento de maneira rápida e leve. Eles estimulam o raciocínio, a criatividade e desenvolvem habilidades. Podem ser utilizados aplicativos de jogos educativos, jogos de tabuleiro ou até mesmo, os próprios estudantes, com auxílio do professor, podem criar jogos em sala de aula, elaborando suas próprias regras de jogo. Ainda no estudo de Tümmler e Thives (p.11), é levantada a definição de gamificação por Fadel e Ulbrich: “o termo gamificação compreende elementos de jogos em atividade de não jogos.” Além de a gamificação estar relacionada aos jogos, ela também está relacionada à motivação, quando a criança finaliza alguma tarefa de maneira correta e recebe uma estrelinha ou brinde como recompensa;
  • Aprendizagem por projetos: Os estudantes são incentivados ao desenvolvimento de competências e pensamento crítico. Na educação infantil, é praticado a partir da elaboração de um tema, de acordo com alguma necessidade a ser trabalhada em sala de aula, ou os estudantes escolhem o tema por afinidade. Assim que o tema é escolhido, os estudantes começam a busca por informações com a orientação do professor e com auxílio de seus pais ou responsáveis. Dessa maneira, será desenvolvida a autonomia pela busca de conhecimento e o aprendizado na utilização de tecnologias;
  • PBL – Metodologia baseada em problemas: O professor estimula a curiosidade e a busca por respostas, elaborando uma situação-problema simples, para que as crianças consigam resolver por meio de dicas. E não só motivá-las na busca por respostas, mas também a elaborarem problemas;
  • Estudo de caso: Nessa metodologia para a educação infantil, o professor pode contar histórias para as crianças sobre assuntos que as interessaram. Além disso, pode ser aplicado na prática; em momentos que as crianças estão na hora do intervalo brincando no parque da escola, pode ocorrer alguma situação que cause curiosidade nas crianças. Nessa hora, o professor atua como mediador dessa situação, fomentando diálogos sobre a situação;
  • Rotação por estações de aprendizagem: Essa metodologia consiste na divisão de etapas ou circuitos de atividades pelo professor sobre o conteúdo a ser desenvolvido em sala de aula. Antes da explicação do professor sobre o conteúdo, os alunos devem vivenciar o circuito, e depois ele precisa interagir com a turma explorando e aprofundando o conhecimento. O conteúdo deve ser inserido aos estudantes por etapas, de diversas maneiras, primeiro lendo o conteúdo e explicando, também podem ser utilizados recursos visuais, como vídeos educativos, filmes. É importante que em alguma das etapas, seja utilizada alguma tecnologia.  Depois que o conteúdo foi apresentado e explicado, e os estudantes passaram por todos os circuitos, podem realizar atividades práticas sobre o assunto.

É preciso se adequar aos novos estilos de ensino e adaptar as metodologias ativas no ensino infantil, de modo que faça sentido a realidade da sala de aula. novos estilos de ensinoO professor não deve ser o único detentor de conhecimento, por isso, com as metodologias ativas, é possível que estudantes aprendam com o professor e o professor aprenda com os seus estudantes. Dessa maneira, o ambiente de sala de aula se torna mais produtivo e os estudantes se tornam mais motivados a “aprender a aprender”, como a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) defende.

Incentivar uma aprendizagem ativa aos estudantes faz com que o aprendizado seja realmente aproveitado. Dessa maneira, desde a educação infantil, o conhecimento será motivado e sua busca será feita de maneira natural e o aprendizado ocorrerá de maneira efetiva, engajando as aulas, tendo a interação e a participação de todos em sala de aula, fazendo com que alunos se tornem estudantes. 

 

Referências:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/

https://decriancaparacrianca.com.br/pt/

http://www.uniedu.sed.sc.gov.br/